HOQUEI EM PATINS EM MUTAÇÃO

22 06 2009

7

UMA NOVA ERA SE AVIZINHA

Depois de uma época relativamente calma sem grandes convulsões, sem grandes surpresas, mas com aspectos tremendamente positivos como foram as extraordinárias prestações das selecções nacionais, já que Portugal voltou a vestir a pele do sempre favorito, recuperando prestígio através da qualidade do trabalho desenvolvido, mas também dos resultados apresentados, já que em termos de formação Portugal ganhou tudo, o que é inédito, sub 17, sub 20 e sub 23, foram campeões da Europa e vencedores da Taça Latina, respectivamente, seniores foram vice campeões da Europa em Oviedo, colocando a Espanha em sentido, recordamos que Portugal perdeu 1-0 na final, mas não foi inferior em nada á selecção Espanhola que até jogava em casa com tudo e todos a seu favor como acabou por se reflectir depois na final, também em seniores femeninos, a selecção portuguesa disputou a final do campeonato do Mundo no Japão com as espanholas, sagrando-se vice campeã do Mundo, algo que já não acontecia á nove anos, em contra-partida em sub 19 femininos a Federação de patinagem cancelou a participação portuguesa no campeonato da Europa desse escalão, alegando dificuldades financeiras, não permitindo a continuidade de um trabalho a ser feito na base, e que em termos de futuro poderia ter sido muito importante na experiencia acumulada para futuras participações, até porque não é compreensível que as selecções cancelem as suas participações por falta de dinheiro ou que não se preparem convenientemente, já que supostamente tudo é orçamentado e suportado pelo Instituto do desporto de Portugal. Mas a realidade é que esta nuvem não chegou para ensombrar o trabalho desenvolvido ao nível da direcção técnica nacional e pelos técnicos nacionais, estando aqui em justo destaque o prof. Luís Sénica, director técnico nacional e coordenador de todas as selecções, em equipa com o prof. Jorge Lopes e Rafael Oliveira e ainda com Nuno Ferrão, Paulo Tina e João Calado que coadjuvaram os técnicos principais, num trabalho que nunca é demais saudar e que veio assim aumentar as expectativas e a responsabilidade na manutenção e continuidade do trabalho desenvolvido, cabendo á FPP, proporcionar as devidas condições para que tal como os nossos rivais as nossas selecções tenham tempo e condições para se prepararem convenientemente.

Ao nível de clubes e cá pelo nosso burgo, o Porto voltou a dominar fazendo outra dobradinha, já no plano Internacional a desilusão tem vestido de azul e branco, a Juventude de Viana a equipa mais bem apetrechada da 1ª divisão desta feita conseguiu estar na final embora na hora da verdade não tenha chegado para o Porto, mas por outro lado na taça de Portugal nem sequer esteve na final a 4, o que se diga de passagem não abona nada em favor dos minhotos, pois uma equipa com planteis tão valiosos como tem apresentado nos últimos anos, tinha obrigação de muito mais e de facto tem mesmo vindo a ser a grande desilusão ano após ano, embora desta feita tenham chegado á final, outra desilusão voltou a ser o Benfica em mais um ano para esquecer. Destaque ainda para a Oliveirense, que sob o comando do eterno Tó Neves, continua no topo do hóquei luso e fruto de uma boa campanha europeia acabou por estar na final a 4 da Taça Cers, o Oquei de Barcelos, longe dos seus tempos áureos, sofreu enormes convulsões, mas está aí mais jovem do que nunca, com uma formação que está representada em todas as finais a 4 de infantis a juniores e á data já conquistou o título de juniores, realce com toda a justiça para o trabalho desenvolvido por Victor Silva, mantendo por isso o Barcelos na rota do futuro, na 2ª Divisão, Física de Torres Vedras (campeã nacional), Académica de Espinho e Paço d’ Arcos estão de regresso ao escalão principal, por troca com, CD Nortecoope que desistiu, Carvalhos e Hóquei de Cambra, enquanto que na 3ª divisão, o BIR (campeão nacional), juntamente com Académica de Coimbra, Penafiel, Beja, Fundação Nortecoope e Stella Maris, subiram á 2ª por troca com Escola L. de Azeméis, Bom Sucesso e Mealhada (que tanto em seniores como em juniores foram orientados por Vasco Vaz e que foram o grande flop da época), UF Entroncamento, Estremoz e Vilafranquense que também desistiu.

Em Femininos a história repetiu-se com a Fundação a ser superior e a revalidar o título nacional (tetra), onde o GD Boliqueime sobressaiu ao tornar-se vice campeão e onde Mealhada e CD Nortecoope voltaram a desiludir, a grande revelação da prova foi sem duvida a jovem equipa dos Lobinhos, que se dividiram entre seniores e juniores onde são favoritas juntamente com a Sanjoanense na disputa do 1º campeonato nacional deste escalão que vai ter final a 4 em Alverca nos dias 4 e 5 de Julho, lembramos que em termos de finais a 4 se vão realizar:

  • JUVENIS – Mealhada, Pavilhão do Hóquei Clube da Mealhada (3,4 e 5 de Julho)
  • INICIADOS – Aljustrel, Pavilhão Municipal Armindo Peneque (10, 11 e 12 de Julho)
  • INFANTIS – Alenquer, Pavilhão Municipal de Alenquer (26,27 e 28 de Junho)
  • SÉNIORES FEMININOS – TAÇA DE PORTUGAL – Turquel, Pavilhão do Hoquei Clube de Turquel (27 e 28 de Junho)
  • JUNIORES FEMININOS – AP. DE CAMPEÃO – Alverca, Pavilhão Municipal de Alverca (4 e 5 de Julho).

Se em resumo tudo se passou assim, mais sobressalto, menos sobressalto no reino do hóquei, mais aspectos a focar haveria concerteza, mas serviu-nos este preambulo para entrar numa nova era em termos da intervenção no nosso blogue, pois a nossa intervenção mais do que dar notícias passará no futuro por aspectos onde a opinião sobre determinados temas irá ter a grande relevância, tentaremos assim dar um contributo diferente, já que de notícias estamos bem servidos, os sítios do CLUBE UNIÃO MICAELENSE e o MUNDO OK, fazem-no muitíssimo bem. Mas se no passado também estivemos onde estava a notícia, limitados pela impossibilidade de dispor de tempo, tivemos de parar, entrando assim numa outra realidade que será também mais fácil para nós, pois não nos será solicitado tanto tempo, embora estando sempre atentos e prometendo aqui tratar cada assunto, mesmo de opiniões se tratando, de uma forma séria e rigorosa, entrando em cada tema escolhido, com artigos de nossa opinião ou de quem queira dar o seu contributo de uma forma séria, onde os conteúdos sejam o que mais interessa, independentemente de quem os escreve, não nos importando a nós quem o faça, desde que dentro das regras da boa educação e sem ofensas de qualquer tipo, cabendo-nos a nós escolher e seleccionar tudo o que nos chegue através do nosso endereço electrónico, que consta na pagina inicial.

Assim e por este motivo escolhemos iniciar a nossa reentrada com um artigo que nos foi enviado e que pela sua pertinência e actualidade, achamos por bem, por aqui começar, até porque se trata realmente de ENTRAR NUMA NOVA ERA, NUM NOVO TEMPO.


Ações

Information




%d bloggers like this: