HOQUEI FEMININO – CAMPEONATO NACIONAL

29 10 2007

logo-okfeminino2.gif

SURPRESAS NO CAMPEONATO – MEALHADA PERDE EM CASA – ALCOBACENSE GOLEADO.

Tivemos este fim de semana a 2ª jornada do campeonato Nacional feminino, jornada estafundnortecoope.gif em que haviam alguns jogos a seguir com interesse, nomeadamente a norte, o jogo mais importante(Mealhada-Carvalhos), embora se esperasse equilíbrio também no Alfena-Arazede (5-4), assim como também as campeãs da Fundação acabaram por não ter um jogo fácil e mais difícil seria não fosse uma Cláudia Rego decisiva mais uma vez a marcar 2 dos 3 golos com que a Fundação ganhou em Marco de Canaveses(sem duvida alguma Cláudia Rego, Vânia Ribeiro e Bruna Honório, embora esta m07e_ladiesporfra7658.jpgenos utilizada, a tirarem partido do trabalho efectuado ao serviço da Selecção Nacional e a Fundação só ganha com isso, a capitã da selecção Nacional tem mesmo marcado a diferença, para alem dos golos decisivos que tem marcado, embora pese sempre o mérito do colectivo quando ele existe), mesmo assim continuamos a achar que esta é uma equipa sub aproveitada, pois algumas das suas jogadoras, para justificarem o estatuto que têm na equipa teriam de trabalhar 10 vezes mais e se tal acontecesse, então teríamos uma equipa imbatível fosse a que nível fosse.

carvalhos-g.gifO Mealhada- Carvalhos, foi daqueles jogos em que só houve um sentido ehc-mealhada.gif esse sentido único foi em direcção à baliza do Carvalhos, o domínio exercido pela equipa verde, chegou mesmo a ser avassalador e sufocante, já o Carvalhos só teve 2 remates à baliza de Ângela Gameiro, dignos desse nome, o 1º foi bem defendido e o 2º deu golo, numa jogada confusa mas com Marlene “Viseu” Moreira, a atirar a contar. O Carvalhos teve o mérito e a sorte de não sofrer golos, tendo sofrido muito para tal façanha, abdicando por completo de jogar outro tipo de jogo que não fosse defender em quadrado, abdicando mesmo dos contra ataques tal o sufoco registado em largos momentos do jogo. O Mealhada lutou muito, embora mais com o coração do que com a cabeça, pecou acima de tudo na insistência de tentar resolver o jogo com os lances individuais de uma Neuza Pebre, nem sempre esclarecida, muitas vezes egoísta e a jogar a 20 à hora, o que só facilitou quem defendeu, todas as outras jogadoras do Mealhada lutaram muito, embora falte ainda forma à Ana 07e_ladiesspapor9064.jpgJulia, registo para Dina Tavares uma “gigante” em campo, mas insuficiente para vergar o verdadeiro autocarro que viajou de Carvalhos, mesmo assim os melhores lances e as melhores assistências foram suas, algumas de bandeja mas mesmo assim desperdiçadas, o prémio que teve foi a cabeça partida, num dos vários lances em que a arbitragem de Vera Fernandes podia e devia ter penalizado a dureza em excesso das jogadoras do Carvalhos.

boliqueime-g.gifA Sul o Alcobacense foi surpreendentemente goleado por 8-2 em Estremoz, pelo Ext. de S. Filipe, a surpresa vem mesmo dos números do resultado, a Académica goleou por 16 uma equipa de Portimão muito frágil e de equilíbrio valeu o Roller Lagos-Boliqueime, com a vitória a acabar por sorrir ao Boliqueime, já nos minutos finais, fruto da sua maior experiência e valia onde conseguiu marcar 2 golos pois até aí registava-se um empate a 1 golo, por isso tem de se realçar a boa evolução do Roller de lagos.

Foi assim mais 1 jornada onde o hóquei em patins continua a ser muito mal tratado, pois não está em questão se é praticado por homens ou mulheres mas sim o facto de ser cada vez mais, entregue a curiosos que de hóquei pouco percebem, porque a realidade é que há por aí mulheres que são excelentes executantes, mulheres que se fossem bem treinadas, se o grau de exigência em termos de trabalho fosse elevado, se a vertente táctica e técnica fosse bem explanado, o nosso hóquei feminino poderia estar muito mais acima e muito mais evoluído do que está, até porque assistimos a clubes a dispor de meios para fomentar a qualidade, se não a têm é porque não a querem, porque gente competente é o que não falta por aí. Queremos e devemos ainda realçar o uso e abuso de tácticas defensivas, como se isso fosse a solução para o fraco trabalho feito nos clubes, no fundo as tácticas de quadrado e parecidas, só servem para mascarar a falta de imaginação e a falta de trabalho ao nível da base, por isso não se desenvolvem atletas fortes tacticamente e versáteis e até i-love-this-hoquei-2.jpga técnica e táctica individual que era um trunfo do hóquei Português, está a desaparecer, dada essa nulidade de processos. Cada vez encontram-se mais curiosos, que são amigos do hóquei é certo, mas pouco capazes de trabalhar para o hóquei, a dirigir clubes e equipas sejam nos escalões masculinos sejam nos femininos, escapando aqui por enquanto os escalões de seniores e não são todos porque alguns treinadores já vão fazendo formação e valha-nos isso. chegou a altura de dizer basta à incompetência, o hóquei feminino está aí com pernas para andar e precisa de gente capaz.


Ações

Information




%d bloggers like this: