PAULO BATISTA JÁ NÃO EXERCE O CARGO DE SELECCIONADOR NACIONAL

11 07 2007

fpplogo_n.jpg img_4141.gif

CHEIRA A FALTA DE CORAGEM O COMUNICADO DE FERNANDO CLARO, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO, UMA FOTOCÓPIA DO QUE ACONTECEU QUANDO DO JOSÉ QUERIDO

Foi um déja vue o que se passou em relação ao cargo de seleccionador Nacional, mais uma vez a falta de coragem foi o mais visível, nesta tomada de posição, quantos treinadores de valor comprovado vão ter de ficar sem cabeça ou ser humilhados pela falta de coragem em assumir um projecto que urge e é tão necessário? há que assumir com humildade que os espanhóis neste momento são melhores a grande distância e sobretudo sabem trabalhar em equipa, por isso se continuarmos a começar de novo todos os anos ou perto disso, a Espanha ainda se distancia mais e outros chegarão mais perto de nós, o que aconteceu na Suíça, foi o corolário de anos a fio em que se brincou ao hóquei, alimentando egos e feiras de vaidades, feiras e não fogueiras, pois é na feira que se passeiam os tôlos com os seus penachos e laivos de estupidez, por isso não renovaram, espremeram ao máximo o leite que a têta tinha, esqueceram-se era que um dia a Têta secava, o Mundial de Oliveira de Azeméis, já foi ganho à justa, numa final disputada com os Velhos Italianos(veja-se onde pára a Itália), e para ganhar foi preciso um super jogador chamado Pedro Alves, sim um Pedro Alves como o qual já não há mais, foi graças a ele mais alguns heróis que Portugal ganhou esse título, não foi concerteza a táctica inexistente para além da gabarolice de um pseudo treinador que nunca o foi e que mais não fez desde então que dizer mal, a mesma coisa que ainda hoje faz, de mão dada com quem não aceita o passar dos anos e se julga capaz de se substituir àqueles que são o futuro, pois foi a pensar no futuro que a Espanha teve anos sem ganhar, mas nessa altura renovou de forma sólida e sem pressão, confiantes no seu trabalho e de quem o fazia e hoje são a selecção mais jovem em prova e continuam a renovar, todos os anos o fazem, com inteligência e confiança no seu valor, e quando vão para a competição ainda têm um País inteiro a apoiá-los, todos de mão dada com um só objectivo, vencer, mas acima de tudo ser digno na disputa, coisa que por cá não se faz, pois aparecem sempre uma cambada de aves agoirentas e mal diz entes, que antes das provas já estão a desestabilizar, com medo de quem está possa ter algum sucesso e com isso remetê-los para o esquecimento, para as trevas da mal discência de onde nunca deviam de sair, pois são esses os 1ºs responsáveis, pelo que de mal aconteceu, pois conseguíram com a sua acção, colocar uma pressão acrescida em cima dos ombros de jovens que necessitavam acima de tudo de tranquilidade para desenvolver o seu trabalho de forma natural e em ambiente saudável, ganhando experiência para conseguir no futuro voltar a estar ao mais alto nível.

Quanto à direcção da Federação e digo Direcção da Federação, bastaram meia dúzia de opiniões, de alguns coveiros, para que a coragem se fosse e com essa coragem foi-se embora mais um treinador de valor reconhecido, honesto, trabalhador e acima de tudo coerente, tal como o era José Querido, vítima das mesmas pessoas.

Pergunta-se agora o que vem a seguir? já adiaram a implementação da exigência de treinadores nível 2 para a 2ª divisão e outras, que vão fazer agora? vão devolver o dinheiro aos treinadores e aos clubes? vão oferecer o cargo de treinador a alguém sem formação e educação? ou vão convidá-lo(s) para serem prelectores dos próximos cursos e com isso dão-lhe o nível? ou nem vai ser preciso nada disso? e a associação de treinadores onde está perante tudo isto? e as associações e os clubes? por mais quanto tempo vão continuar a jogar xadrez em troca de nada? a ser manipulados por interesses que favorecem sempre os mesmos, quando ninguém devia ser favorecido? vamos aguardar e ver até onde isto vai, tem de haver um explicação para o prolongamento do regime transitório no que aos treinadores nível 2 diz respeito, porque havendo uma razão para tal seremos os primeiros a querer aclarar este assunto, pois apesar de tudo acreditamos que o projecto de formação não só é importante como urgente e por isso deve continuar a ser implementado sem que haja cedências a pressões que em nada abonam todo este processo.

Pedimos desculpa aos nossos visitantes e leitores pela linguagem bem Portuguesa que utilizámos, mas foi a forma de desabafarmos junto com muitos milhares de pessoas, o nosso descontentamento pela situação e apontar o dedo àqueles que mais não fazem que destruir e afundar cada vez mais o HÓQUEI EM PATINS.

Anúncios